terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Acompanhem como é tratada a Cultura Cervejeira do Brasil pelo Ministério da Agricultura (MAPA)

"A MicroCervejaria Colorado de Ribeirão Preto (SP) vem sendo ao longo de receitas majestosas humilhada e tratada como produtores insignificantes de cerveja.
Veja a indignação justa do proprietário da Premiada MicroCervejaria Colorado
Marcelo Carneiro da Rocha no texto que se segue"


Tenho que expor ao nosso país que alguns setores do MAPA são escandalosa e ostensivamente perseguidores da pequena indústria cervejeira nacional. Vivemos numa situação de evidente oligopólio, com uma meia-dúzia de grandes cervejarias dominando 99% do mercado e o andar de baixo com cerca de uma centena de microcervejarias desunidas que não têm advogados caros, lobby em Brasília ou poder econômico, sendo massacradas.

Vou narrar minha ultima passagem pelo MAPA. Tinha planos de ir à capital paulista para saber noticias do processo da Vintage Black Rapadura, já que havia, se me lembro bem, seis meses que não conseguia nenhuma informação consistente. Na noite anterior, comentei com um cliente o que ia fazer. Este, como a maioria dos ribeirão-pretanos, era muito simpático à cervejaria e me disse que conhecia o secretário do MAPA paulista e, nessa condição, se comprometeu a ir comigo.

Lá chegando, o secretário foi cortês e educado como se deve ser. Ligou para o departamento competente e pediu informações sobre o processo. Alguns minutos de conversa cordial e toca o telefone pedindo que eu descesse para falar no andar de baixo. Fui recebido por um funcionário publico irado, perguntando “quem era eu para reclamar com o secretário?”, fez questão de dizer que era concursado e que eu não conseguiria tomar seu emprego — como se eu quisesse algo assim!

Dias depois apareceu por aqui um documento do órgão no qual diziam que estavam vetando o nome Rapadura, alegando que eu queria “lesar o país como fizeram os japoneses quando registraram o nome cupuaçu”. Justo nós, de uma microcervejaria de vinte e poucos funcionários, intentávamos tirar vantagem da poderosa indústria açucareira brasileira e dos pobres cortadores de cana do Nordeste!!! O motivo pelo qual existem produtos chamados Fanta Uva, Fanta Laranja e quetais não foi explicado.
O conformismo

Diante disso, tirei o Rapadura do nome e ficou apenas Vintage Black, Mais meses se passaram, e foi quando o Alexandre (Bazzo) da (microcervejaria) Bamberg me disse que já havia tentado o mesmo nome Vintage, o qual foi rechaçado porque poderia induzir o consumidor a confundir vinho com cerveja… O argumento de que existiam no mercado ao menos duas cervejas estrangeiras com o Vintage no nome não impressionou ninguém.

Concluindo, para chegar ao fim desta odisseia, resolvi chamar a mesma cerveja de Ithaca, na certeza de que o burocrata não saberia quem foi Ulisses nem Homero. O nome foi aprovado em tempo recorde e se livraram momentaneamente deste cidadão chato. Desde então, não piso mais lá – tenho medo de ser mal-interpretado. Tenho um processo novo por lá, de uma nova cerveja, a Double Indica, e sabe-se lá quando será liberado.

Mel e chocolate na cerveja

Gostaria de esclarecer que o registro da minha Colorado Appia (cerveja artesanal que contém mel de abelhas em sua fórmula) existe, mas em situação precária, embora haja uma absurda proibição de se usar componentes de origem animal em cervejas. Há um processo correndo no MAPA onde a Colorado, aliada à Cobracem (Associação Brasileira dos Profissionais de Cerveja e Malte), tenta justificar o uso do mel. Está em trâmite há anos, e não me surpreenderia se, depois deste meu artigo, suspendessem o registro desta cerveja que é uma das minhas campeãs de venda. Em tempo: O mel, assim como o chocolate, é largamente usado em cervejas na Inglaterra, Estados Unidos e até nos nossos vizinhos Argentina e Chile.

Uma pergunta que não para de berrar: Por que, nas grandes cervejarias e vinícolas nacionais, usa-se larga e livremente, como clarificante, o componente chamado isinglass, o qual é feito a partir da bexiga natatória de certos peixes? Ora, peixe não é animal? Também conheço um pouco de vinho e sei que, além do isinglass, vinícolas de primeira linha utilizam albumina de ovo, gelatina animal, quitina extraída de insetos e crustáceos, entre outros ingredientes de origem animal para clarificar sua bebida. Isso pode? O MAPA pode atestar com exatidão que não existam vestígios destas substâncias nestas bebidas? Vão abrir alguma garrafa de Mouton Rothschild para comprovar?

Vamos à luta?

Esse é um estado de coisas altamente injusto. Se não existe associação que nos traga resultados palpáveis, vamos usar a internet! Ela elegeu o Obama e está constantemente revelando outras tiranias piores que as que sofremos. Se quisermos, poderemos! Jorge Luis Borges, meu escritor preferido, uma vez disse que “só há uma coisa da qual ninguém jamais se arrepende, e esta coisa é haver sido valente”. Os ingleses por sua vez afirmam “the pen is mightier than the sword” (a pena é mais poderosa que a espada)

Podemos nós, mesmo pequenos, pensar que o teclado é mais poderoso que o tacape. Chega de sermos retratados nos corredores de Brasília por concorrentes engravatados como imbecis ou sonegadores.Vamos mostrar às pessoas de bem que existe algo chamado cultura cervejeira, que somos cidadãos inteligentes, que o dinheiro sozinho não tem ideias. Enfim, que não merecemos este estado de coisas.

" Por favor amigos cervejeiros, indignem-se! Contem suas mazelas, twittem ,retwittem, blogueiem, publiquem! A luz do sol é o melhor desinfetante"

Site do Ministério da Agricultura 

Postado por Ricardo Oliveira de Matos.
Texto de Marcelo Carneiro da Rocha, da Cervejaria Colorado.

6 comentários:

Villa Carioca Bar e Café disse...

Poxa, como fica dificil alguém se interssar por um segmento.
Estou estudando a meses o processo de fabricação, não no intuito de ser grande, mas sim em produzir novos sabores e sair da mesmice das grandes.
Da para notar que eles não querem que o setor seja forte.

GRANDE CERVEJEIRO disse...

REALMENTE AMIGO !!!!
A coisa ta feia....mas se todos os cervejeiros se unirem acho que formaremos um time e tanto....
Cervejas sem Fronteiras....
Prosit !!!!

cervejaria.blackbrewer@gmail.com disse...

Fala Ricardo, blz? Dessas próximas levas que farei pode ter certeza que você receberá exemplares... desculpe não ter enviado a de trigo, mas no final do ano tomamos e não sobrou nenhuma. Até a que estava com seu nome foi aberta e quando ví já era tarde... mas você não perdeu muita coisa, pois como descrevi no meu blog, ela estava um tanto diferente da versão do postmix. Vai demorar um pouco mas você receberá uma Bock, uma Weizenbock, uma Barley Wine e uma Bohemian Pilsner. Essas são minhas próximas brassagens!! Abraço.

alexcwb disse...

Burocratas são os parasitas da sociedade. Não tem nada mais vil do que a arrogância do cidadão que mente ao se declara "Servidor Publico".
Vai em frente... O principal terror deles e que alguém sabe que o que fazem não serve para nada.

www.brejeiros.webnode.com.br disse...

É meus caros, a grande verdade é que nossas cervejas artesanais são tratadas como água suja por estes ...
Enquanto fora somos abraçados e ganhamos prêmios de excelência. Mas a ignorância de nosso país já é conhecida, e com ela temos que conviver.
Parabéns pelas cervejas, E dia 17/03 St.Patrick Day no Cervejario de nosso Amigo Reison em Sorocaba.

renatoparacuru disse...

É impressionante como aqui no nosso País, que não é nosso e sim dos "políticos", tudo que se tenta fazer para melhorar é barrado.
Venho lendo há muito tempo sobre fabricacão de cerveja artesanal.
Apenas para fabricar a minha própria cerveja e poder bebê-la com amigos.
Mas estou vendo as ificuldades que terei.
Abraco e sorte a tods.
Renato Andrade.

 
grande cervejeiro - tudo sobre cervejas, nacionais e importadas

Copyright 2010 "Grande Cervejeiro tudo sobre cervejas especiais , artesanais, nacionais e importadas".

Theme by Grande cervejeiro.
Ricamatosoli by Templates.